segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Mercado de Opções (4) - Travas

Importante: Os artigos desta série sobre Opções são interdependentes portanto para se entender este artigo e os subsequentes é de extrema importância que se leia os anteriores.

Eu tive muita dificuldade para entender como se opera do lado vendido, e acredito que muitas pessoas que estão começando no mercado de opções tenham a mesma dificuldade. Não entrava na minha cabeça que era possível vender uma opção sem a possuir - sem ter que fazer uma compra antes - e depois de vender esta opção recomprá-la por um preço mais baixo e ficar com a diferença (o que seria meu lucro).

Vender no mercado de opções significa vender o que não se tem com o objetivo de comprar mais barato se o mercado não subir.

Vender opções é uma das melhores formas de colocar as probabilidades de lucro ao seu lado. Como veremos neste artigo, uma grande vantagem de vender opções em vez de comprá-las é que, acertar a direção do mercado não é o fator principal para se ter lucros. Claro, é útil pegar a direção certa, mas o trade pode ser vencedor mesmo que você esteja errado no que diz respeito à tendência do mercado.

O grande problema dos compradores de opções é que eles simplesmente não conseguem acertar a direção do mercado dentro do tempo destinado ao trade da opção, ou eles erram completamente a tendência desde o início. Vender opções dá uma margem de erro enorme em sua avaliação da tendência do ativo subjacente (ação).

Outro inimigo principal do comprador de opções, e que trabalha a favor do vendedor, é o conceito de "decaimento pelo tempo" ou perda de valor pela passagem do tempo. Para o comprador de opções, o decaimento pelo tempo é um obstáculo que ele terá de encarar todos os dias. O decaimento pelo tempo é uma característica das opções que descreve a erosão de seu preço, fazendo com que ela perca um pouco de seu valor dia após dia, sem levar em consideração se a ação subjacente se movimenta ou não.

Isso é bastante evidente nas opções no-dinheiro (ATM) e fora-do-dinheiro (OTM). Quando você compra uma opção ATM ou OTM, está pagando por algo que não tem nenhum valor real ou intrínseco. Você está comprando algo que é totalmente precificado a partir do valor de expectativa e da quantidade de tempo que falta para o vencimento. Conforme os dias passam e a opção ainda não é dentro-do-dinheiro, seu prêmio é reavaliado para um valor menor (considerando que todos os outros fatores se mantenham constantes). Quanto menos tempo para ser lucrativa, menor será o valor da opção. Isso é o decaimento pelo tempo. Se você opera opções há muito tempo, pode ser que já esteja ciente disso, mas muitos traders novatos não entendem o conceito.

No artigo anterior mencionei a Grega theta. Theta nos dá o valor em termos absolutos (dinheiro) do decaimento pelo tempo diário para cada opção. Adiante veremos como o decaimento pelo tempo é parte fundamental para o sucesso das opções e causa do fracasso de muitos compradores de opções.

A forma mais comum de se operar opções do lado vendido é montando uma trava de baixa, também chamada de reversão. Com a trava você diminui e limita o risco da operação.

Vou dar um exemplo de uma trava no-dinheiro (ATM), que é a mais utilizada. Existem outros tipos de trava, mas para este artigo vamos nos concentrar nesta.

Para montar uma trava você deve vender uma opção e comprar outra opção na mesma quantidade e de strike superior.
Por exemplo:

Na operação demonstrada na figura abaixo, você executa duas operações: Vende a opção PETRJ36 e compra a opção PETRJ38.





Data da montagem da operação: 26/09/08
Cotação PETR4 = 35,96
Data do vencimento das opções da série J: 20/Out
Pregões até o vencimento: 15
Dias corridos até o vencimento: 23

Na operação de venda, você vende 1000 opções PETRJ36 pelo preço de 2,50, e recebe 2.500,00 (1000 x 2,50).
Na operação de compra, você compra 1000 opções PETRJ38 pelo preço de 1,60 e paga 1.600,00 (1000 x 1,60).

Se você recebeu 2.500,00 para vender uma opção e pagou 1.600,00 para comprar outra opção então você na verdade recebeu 900,00 para montar esta operação (2500 - 1600 = 900).

Este valor de 900,00 que você recebeu para montar a trava de baixa entra na sua conta na corretora, mas esse dinheiro ainda não é seu, ele só será seu se tudo der certo, ou seja se no dia do vencimento - 20/Out - a ação da Petrobras estiver valendo menos de 36,00. Então podemos dizer que seu lucro máximo é igual ao valor que você recebeu para montar a trava, no nosso exemplo o lucro máximo é igual a 900,00.

Já sabemos qual é meu lucro máximo. E o meu prejuízo máximo? Para calcular o máximo que você pode perder com uma operação faça o seguinte: valor do spread menos o que foi recebido para montar a operação. O spread é a diferença entre os strikes - entre os preços de exercício. Se calcula da seguinte forma: strike da opção PETRJ38 que é 38, vezes a quantidade que é 1000, menos o strike da opção PETRJ36 que é 36, vezes a quantidade que é 1000. Cálculo: (38 x 1000) - (36 x 1000) = 2000. Então seu prejuízo máximo será 2000 - 900 = 1.100,00

E como se lucra com essa operação? Simples, se a ação não subir. Não precisa que a ação caia, basta ela não subir. Na trava de baixa você ganha se a ação não ultrapassar o valor de strike (preço de exercício) da opção que vendemos.
Se no dia do vencimento - 20/Out - a ação da Petrobras (PETR4) estiver valendo menos que 36,00, vamos supor que a ação esteja cotada a 35,90, as opções que você usou para montar a operação estarão com valor próximo de zero, normalmente elas ficam cotadas a 0,01 (um
centavo).

Isto é fato, no dia do vencimento e até nos dias que antecedem o vencimento - se a ação estiver valendo menos que o valor de strike da opção em que você está vendido, esta opção estará valendo próximo a zero. E não só a opção em que você está vendido, mas todas as opções com strike superior ao valor atual da ação estarão cotadas próximas a zero, ou seja não terão valor algum. Para ficar ainda mais claro, no nosso exemplo, se a ação estiver cotada a 35,90, as opções PETRJ36, PETRJ38, PETRJ40, PETRJ42 e assim por diante - todas elas estarão cotadas a 0,01.
E se isso acontecer você fica com os 900,00, que foi o valor recebido quando você montou a operação.

Ainda não entendeu? Vamos lá. Você vendeu 1000 PETRJ36 por 2,50 e agora você está no dia 20/Out e elas valem 0,01. Basta você enviar uma ordem de compra de 1000 PETRJ36 por 0,01. Resumindo: Você vendeu por 2,50 e comprou por 0,01. Ficando com um lucro de 2.500,00.

Da mesma forma você comprou 1000 PETRJ38 por 1,60 e agora elas também valem 0,01. Você envia uma ordem de venda de 1000 PETRJ38 por 0,01, ficando com um prejuízo de 1.600,00. Isto é o que chamamos de zerar a operação. Você acaba de embolsar os 900,00, você colocou o lucro no bolso.

Alguns podem pensar: "Mas se eu acho que o mercado não vai subir, porque então comprar 1000 opções PETRJ38?" Porque se você simplesmente vender 1000 opções PETRJ36 sem comprar a mesma quantidade de opções de uma série com strike superior, você estará fazendo uma venda descoberta, e isso quer dizer que seu prejuízo máximo é infinito, se a ação da Petrobras disparar para cima não existe limite para seu prejuízo, você pode até ficar devendo dinheiro à corretora.

Por isso é importante no momento de montar a operação, SEMPRE fazer a compra primeiro. Não esqueça disso, SEMPRE começe pela compra. A operação de compra é o que trava esta operação, é o que faz a operação ter um limite, um valor de risco máximo. Não fique vendido à descoberto nem por um segundo, qualquer notícia pode fazer as opções dispararem e você não tem como controlar isso. Apesar de eu sempre falar da venda antes da compra nos exemplos - na prática o operador sempre começa fazendo a compra.

Apesar de eu demonstrar a trava de baixa como sendo a junção de duas operações - uma venda de uma série, e uma compra de outra série, na mesma quantidade, mas de strike superior - depois que você montar a operação, você deve enxergá-la como um ativo só. O que eu quero dizer é que você não precisa ficar acompanhando a cotação das duas opções, basta que você anote e acompanhe o spread. E como eu faço isso? Simples, o spread desta operação é a diferença entre o que você pagou pelas opções (2,50 - 1,60 = 0,90), o spread é 0,90. Se daqui uns dias o spread estiver menor significa que você está, naquele momento, lucrando com a operação. De maneira inversa, se o spread estiver maior significa que, naquele momento, você está tendo um prejuízo com a operação.

Exemplo: Vamos supor que 10 dias depois a ação da Petrobras caiu bastante, e por consequência as opções, e você quer saber quanto poderia lucrar caso zerasse a operação naquele momento. A opção PETRJ36 neste dia está valendo 1,30, e a opção PETRJ38 neste dia está valendo 0,80. Calculando o spread: 1,30 - 0,80 = 0,50.
Basta diminuir o spread inicial (0,90) pelo spread atual da operação (0,50). 0,90 - 0,50 = 0,40.
Então se você resolver zerar a operação colocando o lucro no bolso, seu lucro é de 400,00 (0,40 x 1000).

Como você pôde perceber não é necessário esperar até o dia do vencimento para finalizar a operação. Se você estiver satisfeito com o lucro que a operação está apresentando naquele momento você não só pode, como deve zerar a operação e colocar o lucro no bolso.

Quando você vende opções, sua única preocupação é que o mercado não ultrapasse o strike da opção em que você está vendido. Quando você faz uma trava, pode vencer em até três cenários diferentes do mercado - mercado em baixa, mercado de lado ou até uma pequena alta, enquanto que o comprador só tem um cenário em que vence.

Apesar de o vendedor de opções ter grande probabilidade de sucesso em relação ao comprador não pense que é só sair montando travas de qualquer maneira. Estou supondo que, quando você toma uma decisão de investimento ou se decide por um trade, antes pesquisou e analisou bastante a ação, permitindo que faça uma previsão ao menos razoável do movimento futuro.

Lembre-se: a idéia por trás da venda de opções é deixar o tempo corroer o preço das opções para que possamos comprá-la mais barata com um belo lucro, ou para que todos os strikes vençam sem valor e fiquemos com o dinheiro recebido quando da montagem da operação.

Em seu livro "Fique Rico Operando Opções", Lee Lowell afirma utilizar as travas em 90% de seus trades e diz ser sua estratégia de "venda de opções" favorita.

Futuramente pretendo fazer simulações de trava de baixa para fins de estudo e postar os resultados aqui no site.
Por enquanto podemos acompanhar o exemplo deste artigo. Basta verificar a cotação de PETR4 próximo do dia 20/Out, se estiver valendo menos que 36,00 o trade é vencedor.


Bibliografia: Fique Rico Operando Opções - Lowell, Lee - Editora Campus

Fontes:

16 comentários:

Venaiki 1 de outubro de 2008 02:12  

Olá Banditt,

Quem tá escrevendo é o Valtinho lá do Chr investor. Passei para ver o seu Blog e achei muito legal mesmo. O seu artigo sobre travas é bem legal. Gostaria de aproveitar e tirar umas dúvidas contigo, pq nunca fiz uma trava, somente fiz até hoje lançamento coberto.

Pelo que entendi no seu exemplo, vc comprou e vendeu as opções sem ter as ações? Tenho algumas perguntas, que ficaria feliz caso pudesse me ajudar.

1- No caso da montagem da trava, vc fez tudo pelo home broker ou precisou ligar para corretora? Para desmontar também é pelo Home broker.

2- No caso do seu exemplo as opções viraram pó. Mas, vamos supor que no vencimento a situação estava bastante indecisa, ou não deu tempo de rolar e vc foi exercido. O que acontece na prática se vc nao tem as ações em carteira? Tudo isso ocorre de forma automática no homebroker?

Desculpe pelas séries de perguntas. Mas se puder me ajudar nestas dúvidas eu agradeceria.

Mais uma vez parabéns pelo seu blog.

Grande abraço

Loren7 1 de outubro de 2008 10:28  

Olá Banditt, gostaria de tirar uma dúvida também ...

Você comentou que:

"...não é necessário esperar até o dia do vencimento para finalizar a operação. Se você estiver satisfeito com o lucro ..."

"...Quando você vende opções, sua única preocupação é que o mercado não ultrapasse o strike da opção em que você está vendido..."

Gostaria que vc me explicasse o seguinte, se eu já finalizei a operação antes do vencimento ... qual o problema do strike ultrapassar o valor no dia do vencimento ...

Não entendi o porque disso, será que vc poderia me explicar essa parte mais detalhada ...

Muito obrigado e sucesso com o blog, descobri fazem 3 dias e já aprendi bastante coisa, muito bom mesmo ...

Adriano ...

Banditt 1 de outubro de 2008 11:11  

Olá Valtinho. O seu raciocínio está correto, na trava de baixa você compra e vende as opções sem ter as ações em carteira.

1- Você pode fazer a compra pelo home-broker, mas na hora da venda você precisa ligar para a corretora ou entrar no atendimento online (chat) e pedir a autorização. Eles fazem um cálculo do risco e exigem que você tenha uma quantia disponível na sua conta da corretora ou ações em carteira, isso é o que chamamos de margem. Se você possuir os recursos necessários eles liberam, aí você entra no home-broker e faz a venda. Posteriormente para desmontar a operação NÃO é necessário autorização nenhuma, você faz tudo pelo home-broker.

2- Eu dei exemplo em dois cenários. Primeiro se as opções virarem pó, você fica com o dinheiro que recebeu para montar a trava. Depois eu dei outro exemplo em que as opções se desvalorizaram um pouco e neste caso se a operação fosse zerada o lucro seria de 400,00. Se a operação der errado, é só calcular o spread (diferença entre as cotações das opções) e diminuir do spread inicial (do momento em que foi montado a operação), daí você acha o seu prejuízo. Se você for exercido você tem que comprar as ações pelo preço de mercado e entregá-las (vender) pelo preço de strike da opção vendida. Por exemplo se estiver cotada a 39,00, você vai ter que comprar por 39,00 e vender por 36,00. Eu ainda não fui exercido, até porque normalmente não vou com a operação até o dia do vencimento, e quando as coisas começam a dar errado eu pulo fora. Mas é uma boa pergunta, vou verificar com a minha corretora, eu acredito que seja automático.

Obrigado pelos elogios ao site. Grande abraço.

Banditt 1 de outubro de 2008 11:22  

Adriano, quando eu escrevi "...Quando você vende opções ..."

eu quis dizer "...Quando eu monto uma operação de trava de baixa minha única preocupação é que o mercado não ultrapasse o strike da opção em que estou vendido..."

Se você estava satisfeito com o lucro que a operação (trava de baixa) apresentava e você zerou a operação, então acabou, seu lucro já está no bolso.

Desculpe-me pelo erro, realmente esta frase pode confundir. É que trava de baixa é uma operação de venda, então às vezes eu me refiro a esta operação como apenas "VENDA".

Espero ter esclarecido.
Abraço.

Rafael 1 de outubro de 2008 23:33  

Banditt,

parabéns pelo conteúdo do blog. Estou aprendendo muito aqui.

Tenho a seguinte dúvida: se no dia do exercício (20/out no exemplo) a ação da Petro estiver valendo R$35,00, tanto a opção de R$36,00 quanto a de R$38,00 viraram pó (estão custando R$0,01). Eu sou obrigado a comprar a PETRJ36 de volta por R$0,01 e vender a PETRJ38 também por R$0,01? O simples fato de terem virado pó não fecha o ciclo?
Ao vender a PETRJ38 por R$0,01 quem a compraria se ela já virou pó? Alguém que a usou para fazer trava?

PS. Desculpe se se tratam de perguntas extremamente leigas, mas nunca operei com opções.

Abraço,
Rafael

Banditt 2 de outubro de 2008 10:13  

Olá Rafael.
Muito boa pergunta. No nosso exemplo se PETR4 estiver valendo 35,00 no dia do vencimento 20/Out, as duas opções estarão valendo 0,01.

Seu raciocínio está correto, se você já esperou até o dia do vencimento e a operação é vencedora não é preciso fazer nada, basta esperar o fim do pregão e as duas opções irão virar pó, aí então você fica em definitivo com o valor recebido pela montagem da operação, R$900,00.

No exemplo eu falei de comprar a PETRJ36 de volta por R$0,01 e vender a PETRJ38 também por R$0,01 só para que os novatos entendessem melhor o processo.

Na teoria você tem que comprar onde se está vendido e vender onde se está comprado para zerar a operação.

Mas na prática, não é preciso, basta esperar que as opções expirem sem valor para ficar com os R$900,00. Isso no caso de você levar a operação até o dia do vencimento.

É bom lembrar que você pode a qualquer momento zerar a operação, só que neste caso você provavelmente não ficará com o lucro máximo que é de 900,00, seu lucro será menor.

Outra coisa muito interessante que você falou é que não seria possível ,na prática, comprar e vender essas opções por 0,01. Se elas não valem nada, ninguém está negociando com elas, portanto, não possuem liquidez.

Grande abraço.

Fabiano Franz 6 de outubro de 2008 11:28  

Ótimo post. Uma pergunta: sobre essa operação incide IR de 20%, como em um daytrade? Pois, na prática, você não estaria comprando e vendendo o mesmo papel (ou derivados do mesmo)? Grato!

Fabiano Franz 6 de outubro de 2008 12:31  

Ah, mais uma pergunta: é normal montar a operação com diferenças maiores entre os spreads (por exemplo, PETRJ32 e PETRJ40)? Quais seriam as implicações nesse caso?
Abraço!

Edvaldo Júnior 27 de abril de 2009 15:27  

Cara, foi a primeira vez que eu entendi perfeitamente como se faz uma trava.
Parabéns!

Anônimo 27 de dezembro de 2009 10:30  

Olá a todos!
Gostaria de saber como devo proceder em caso de montar travas de baixa e o mercado só subir.
Vou utilizar o exemplo já utilizado neste blog. Comprei 1.000 petrj38 e vendi 1.000 petrj36, sendo que petr4 está custando R$35,00... porém depois que montei a trava petr foi a R$38,00 e não baixou mais... estou para ser exercido e não tenho capital para comprar as petr4. Com isto petrj36 super valorizou e o prejuizo é grande.
Existe uma forma de evitar chegar a tal situação?

Banditt 13 de janeiro de 2010 09:49  

A única forma de evitar um prejuízo grande é zerar a operação antes que o prejuízo seja grande. Antes de operar você tem que criar regras e cumprí-las a risca.

Eu uso uma regra que funciona pra mim na maioria das vezes, se a ação fechar algum pregão 3% acima do valor de strike da opção em que estou vendido, eu desfaço tudo e caio fora.

Aí você vai dizer, mas isso vai acontecer toda hora! Não mesmo, depende da opção que você escolhe para vender. Usando o mesmo exemplo, hoje em dia eu mudei um pouco e costumo trabalhar com uma folga.

Se PETR4 estiver valendo 36,00 , eu vendo a de strike 38 e compro a de strike 40, com isso a minha operação é vencedora se PETR4 ficar abaixo de 38,00 , isso me dá uma margem de erro muito boa. Porém o prejuízo máximo nesta operação é maior do que o da operação demonstrada no site.

Façam simulações e anotem os resultados, vocês vão entender o porque disso.

Anônimo 11 de fevereiro de 2010 09:08  

Até que enfim , alguém consegui me explicar como montar trava de baixa. Valeu !

Anônimo 1 de abril de 2010 22:05  

Excelente tutoria, mas agora no caso da venda descoberta o lucro segue na msm proporção do prejuízo “infinito” Obrigado.

Jaildes 25 de junho de 2011 14:59  

PARECE MUITO ÓBVIO ESSA OPERAÇÃO DE TRAVA DE BAIXA, PORQUE COM JÁ TENHO ESTUDADO HÁ ANOS, AS SÉRIES DE OPÇÕES EM 80% VIRAM PÓ ATÉ O VENCIMENTO, E O INVESTIDOR NEM PRECISA PENSAR EM BORBOLETAS,CONDORS BOX 4 ENFIM...COMO ESCREVI ANTERIORMENTE, É MUITO ÓBVIO. O DETALHE É QUE MONTADA A OPERAÇÃO, VOCE JÁ SABE QUANTO IRÁ GANHAR, NEM MAIS NEM MENOS, MAS JA TÁ NO LUCRO...

Anônimo 31 de agosto de 2011 23:07  

Outra forma de se defender do prejuizo é controlar em tempo-real o strike da próxima série para caso necessario, vc role a trava (desmonte a trava na serie atual e monte na série serie seguinte) sem precisar colocar grana em cima. Assim vc terá mais tempo pra que o mercado retraia e vc sairá no lucro. (poderá usar uma planilha com link DDE para ter agilidade). Ex.:desmonta vi42/vi40 e monta vj44/vj42. Qualquer dúvida consulte-nos no chat do novatinhanews.com.br

Anônimo 1 de agosto de 2013 12:36  

Não costumo comentar post na Internet. Mas esse realmente merece elogios. Além da excelente explicação, o post ficou muito rico com os comentários. Gostaria de saber também sobre qual parte do nosso corpo o leão do imposto de renda come nessa brincadeira. Abraço a todos!

  © Blogger template 'Perfection' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP